Tragédia em Santa Maria

É muito triste acordar com uma notícia como essa: A morte de mais de 200 jovens em um incêndio em uma casa noturna de Santa Maria. Não cabe agora procurar culpados, dizer que foi punição de Deus por algum pecado. Agora é hora de estendermos as mão para dezenas de famílias enlutadas.

É hora da igreja, especialmente a de Santa Maria, ir em socorro dessas famílias. É certamente o que Jesus faria.

Em Cristo
Silvio Barbosa

P.S.:


Prefeitura de Santa Maria alerta: Precisam de enfermeiros, auxiliares, psicólogos, psiquiatras. Contato: Bia, no telefone (55) 9155-2087…


Continue andando

Ex 15:15 “Então disse o Senhor a Moisés: Por que clamas a mim? Dize aos filhos de Israel que marchem.”

Deus havia prometido uma libertação completa a seu povo. Moisés havia voltado de seu exílio. O Senhor havia se mostrado forte derramando pragas sobre o Egito a ponto de Faraó finalmente concordar com a saída da nação. O opressão sofrida estava no fim. O texto de Êxodo é claro ao mostrar que Deus desvia Israel de um confronto militar, no entanto os leva em direção ao mar, cercados por duas montanhas. Este era o lugar mais propício para uma emboscada e para que o exército inimigo derrotasse completamente os escolhidos de Deus.

Existem momentos na vida que nos sentimos como aqueles homens. Parece que o fim está muito próximo. A revolta e desespero da nação eram muito grandes. Não acreditavam que tinham saído do Egito para morrer no deserto. É muito fácil criticá-los, mas eles enfrentavam um desafio impossível para sua confiança em Deus. Muitas vezes as lutas que enfrentamos nos fazem acreditar que é hora de desistir, no entanto Deus fala para nós o mesmo que para eles: “marchem.”

Precisamos continuar caminhando, precisamos seguir em busca dos alvos que Deus colocou na nossa frente. O Sonhos de Deus para nossas vidas jamais se frustram, mas muitas vezes precisamos lutar, perseverar, caminhar pelo caminho do vale da sombra da morte até chegar às verdes pastagens.  O pior momento da nação tornou-se o maior milagre de Deus, com direito a abertura do mar e destruição do exército mais poderoso da terra sem a utilização de qualquer arma. Era o fim na cabeça do povo, para Deus era apenas o momento para se mostrar forte e protetor.

Se você está passando por uma situação impossível, lembre que as circunstâncias não são maiores que o nosso Deus. Ele quer se mostrar forte na sua vida, mas você não pode desistir. Se fosse fácil você não precisaria de Deus, portanto caminhar com ele significa trilhar estradas que estão muito além da capacidade humana. Deus tem muito mais para sua vida. Creia e continue andando a vitória é mais do que certa.

Em Cristo

Silvio Barbosa


Nem sempre existe um culpado

Jo 9:3 “Jesus respondeu: Nem ele pecou nem seus pais; mas foi assim para que se manifestem nele as obras de Deus.”


Ao longo da história do ser humano na terra nos deparamos com o problema das dificuldades da vida. Nossa tendência natural é acreditar que os problemas, tristezas e angústias da vida são produzidas por erros que nós ou outras pessoas tenham cometido. Não somos diferentes da platéia de Jesus, que ao ver um cego, perguntava quem havia pecado para deixá-lo com esta deficiência. Obviamente muitos sofrem por seus erros ou erros dos outros, mas esse tipo de pensamento é falho para explicar muitos dos sofrimentos cotidianos que enfrentamos.

Jó era considerado por Deus o homem mais justo da terra. Foi permitido que ele sofresse a fim de sua justiça ser mostrada ao mundo e para que ele tivesse um encontro mais profundo com Deus. Os amigos tentavam encontrar explicações para o terrível estado de Jó. Acreditavam que ele era culpado por um ou vários pecados ocultos. Todos falharam, pois ele era irrepreensível  Seu sofrimento era causado pela vontade de Deus em revelar a ele seu coração e sua grandeza. O propósito era tornar aquele homem sofrido em alguém com um conhecimento mais puro do Deus que servia.

A Bíblia nos mostra que muitos servos fiéis sofreram. Muitos foram perseguidos, muitos mortos, muitos perderam entes queridos com a certeza de que Deus tinha um destino melhor para eles. O salmista, no Salmo 73, mostra sua falta de entendimento “Quanto a mim, os meus pés quase que se desviaram; pouco faltou para que escorregassem os meus passos. Pois eu tinha inveja dos néscios, quando via a prosperidade dos ímpios. Porque não há apertos na sua morte, mas firme está a sua força.” (Sl 73:2-4). Como explicar o sofrimento dos justos e a prosperidade dos ímpios? O próprio salmista dá a resposta no verso 17: “Até que entrei no santuário de Deus; então entendi eu o fim deles.” Nossa falta de perspectiva nos faz acreditar no velho ditado: aqui se faz aqui se paga. No entanto Deus nem sempre traz julgamento às pessoas nessa vida e muitas vezes permite que os justos sofram por algum tempo. “No mundo tereis aflições…”

Não que eu acredite que Deus colocou seus filhos para sofrerem na terra. Não duvido do poder de Deus para curar ou para dar livramento. Creio inclusive que Deus deseja liberar muito mais poder do que o usufruído em nossas igrejas todos os dias, no entanto nem tudo será perfeito aqui na terra. Enfrentamos o cansaço, a dor, a morte. Medos terríveis amedrontam nossos corações. Perdemos pessoas queridas. Por tudo isso perguntamos: o que fiz de errado? Deus muitas vezes responderá: “nada meu filho, apenas confie que eu estou no controle e cuido de você.”

Precisamos conhecer a Deus e mudar nossa perspectiva. O grande erro do ser humano é julgar que quando existe o sucesso, existe a aprovação de Deus. Ele não pensa como nós, seus caminhos são eternidades  Nosso tempo na terra é apenas um sopro. Não permita que a dor estrague seu julgamento. Na terra teremos dores, mas Deus cuida e no último dia julgará, dando a eternidade àqueles que foram fiéis. Podemos perder tudo na terra, mas como disse Paulo: “Porque para mim tenho por certo que as aflições deste tempo presente não são para comparar com a glória que em nós há de ser revelada.” O apóstolo podia falar com propriedade sobre sofrimento, mas seu coração continuava alegre, pois sabia que Deus guardava algo muito melhor pra ele. Ele também guarda algo especial para nós, podemos realmente confiar.


Em Cristo
Silvio Barbosa




A Pedra

Jo 11:39 “Disse Jesus: Tirai a pedra. Marta, irmã do defunto, disse-lhe: Senhor, já cheira mal, porque é já de quatro dias.”

Diversas pregações já foram feitas na passagem sobre a ressurreição de Lázaro  Ênfase em Marta, em Maria, nos discípulos, no choro de Jesus. Aliás é um texto riquíssimo  com muitas facetas a serem exploradas. Uma das mais conhecidas utiliza o emblema da pedra movida como sinal de que temos que fazer “nossa parte” a fim de vermos o poder de Deus em ação. Ao estudar a Bíblia precisamos ter cuidado para que ensinos comuns não nos afastem de uma interpretação melhor e mais profunda do texto. Não estou aqui de todo discordando da doutrina da participação humana, no entanto este texto não se propõe a este ensino.

Vejamos o texto em si. Leia o capítulo e me responda: o que Lázaro fez? Nada. E Marta e Maria? Nada também. Quem além de Jesus fez alguma coisa? Os judeus que o estavam questionando minutos antes. Lázaro nada podia fazer por estar morto, Marta e Maria estavam convencidas que Jesus havia chego tarde. Os discípulos estavam confusos. Os judeus questionavam seu poder. Era um ambiente totalmente hostil a uma manifestação do poder de Deus. Não havia fé, nem expectativa. Havia choro, dor e tristeza. Um grande sentimento de impotência tomava conta de todo o ambiente. Apenas um homem mantinha a fé: Jesus, o Deus encarnado.

Em muitas passagens Jesus mostra o poder da fé, no entanto aqui ele mostra o poder de Deus. No verso 40 ele diz “Disse-lhe Jesus: Não te hei dito que, se creres, verás a glória de Deus?”. Jesus chora porque não havia mais fé naquela cena senão a dele. No 42 fala: “Eu bem sei que sempre me ouves, mas eu disse isto por causa da multidão que está em redor, para que creiam que tu me enviaste.” Este homem Deus não duvidava nem por um minuto. Ele conhecia o pai, sabia de seu poder, sabia que era ouvido, sabia que era amado. A Fé dele derivava de seu conhecimento pleno do caráter e do poder de Deus.

Os judeus duvidavam de seu caráter: se ele se importasse teria chego antes. Marta e Maria do seu poder: agora já fazem quatro dias que ele está morto. Não importa a situação que você esteja passando, mas o seu milagre reside na capacidade de compreender o caráter e o poder do criador do universo. Em muitos momentos somos incapazes de vencer as situações que se apresentam a nós, mas o todo poderoso está conosco, dando forças e muitas vezes nos trazendo os milagres que não cremos. Não se engane. Lázaro morreu novamente. O maior milagre não era a ressurreição dele, mas sim o renascimento da fé daqueles que estavam a sua volta. Sua preocupação não era a mortalidade humana, mas sim a eternidade da confiança em Deus.

Seja qual for a situação que você viva, os milagres de Deus na sua vida servem para produzir fé genuína no seu coração. “Meus irmãos, tende grande gozo quando cairdes em várias tentações; Sabendo que a prova da vossa fé opera a paciência. Tenha, porém, a paciência a sua obra perfeita, para que sejais perfeitos e completos, sem faltar em coisa alguma.” (Tg 1:2-4). A lutas que enfrentamos são dádivas de Deus para nos aperfeiçoar. Confie em Deus, ele te ama e jamais se alegrará com o seu sofrimento, mas vai usá-los para produzir em nós a tão sonhada maturidade e a paz que excede todo o entendimento.

Em Cristo

Silvio Barbosa